Depoimentos


"A prática de Yoga, que conheci nos anos 90 com Marcos Rojo, me acompanhava antes mesmo da gravidez, ajudando no equilíbrio físico e emocional. Mas não tinha ideia da diferença que faz uma abordagem específica para gestantes.

As aulas da Kátia Barga trouxeram uma energia especial e uma luz própria para esse período, vivido de forma harmoniosa, tranquila e feliz, "conectando corpo, mente e emoções, e estas com o bebê", como meditávamos durante o relaxamento. Não tive sintomas típicos da gravidez como enjoo, inchaço, falta de ar, chutes do bebê nas costelas. Nada disso. Ganhei 5 kg nos 9 meses e nunca me senti tão bem, física e emocionalmente.

Tivemos a alegria de contar com a Kátia como doula e o parto foi a culminação desse estado de graça vivido por 40 semanas. Sua sensibilidade para me detectar na partolândia apesar dos sorrisos e expressões serenas, seu apoio, sua voz suave me preparando para o toque da dra Andrea, necessário para tirar o rebordo de colo, e sua mágica acupressão nos ombros me ajudaram a encontrar o tal ponto da "força comprida" para trazer Luís Norio ao mundo. Seria uma mistura de jalandhara bhanda, mula bhanda e uddiyana bhanda tudo ao mesmo tempo? ;-)

Praticar Yoga com Kátia na gravidez foi um verdadeiro presente, que acredito ter ajudado na recuperação do puerpério (perdi quase dez quilos em três semanas) e preparado, na medida do possível, para o turbilhão de emoções, noites insones e a lida com os desafios da amamentação. Suas aulas deixam muitas saudades (e também seus deliciosos pães caseiros!). Não vejo a hora de poder retomar os asanas e pranayamas com o pequeno!"



  • Paula Hilst Selli, aluna em 2012
"Comecei o yoga com a Kátia ao completar 3 meses de gestação e continuei até parir. Eu escalava quando engravidei e sabia que não ia dar pra continuar muito tempo, comecei a procurar outro exercício. Cheguei à Kátia por acaso, pesquisando um monte de opções de yoga e outras atividades para gestantes na internet, quando as aulas em São Judas foram as que se adequaram melhor ao meu horário e orçamento. Mal sabia eu que lá encontraria muito mais que yoga.
Eu nunca tinha praticado, comecei com uma vez por semana (pois até o quarto mês eu ainda frequentava a academia de escalada) e logo passei a duas. Logo percebi o quanto o yoga era difícil pra mim. Eu tenho péssima flexibilidade, especialmente nas pernas (meu borboleta é horrível). Meu equilíbrio é um fiasco e apesar de ter tranquilidade para exercitar e prolongar a respiração eu tenho alguns problemas respiratórios (rinite, sinusite, desvio de septo) que se tornaram especialmente evidentes na gestação.
Assim, os exercícios foram um desafio, do começo ao fim. Em alguns eu melhorei um pouquinho, em outros não. Cheguei a me preocupar se minha falta de alongamento me prejudicaria no parto, a Kátia disse que não e hoje tenho certeza disso. Mas o que ganhei no yoga foi muito mais que flexibilidade e equilíbrio.
Quando procurei as aulas eu queria uma preparação para o parto, mas antes de tudo, queria uma gestação saudável e tranquila até o final. O yoga me deu isso. Eu morria de medo de não conseguir me mexer direito nos últimos meses, pois todos falavam que eram horríveis por causa do peso, que tudo inchava, que tudo doía... Eu já tinha dores nas costas antes de engravidar e ficava imaginando meu estado aos nove meses de gestação. Bem, com as aulas e mais os exercícios de alinhamento postural que a Kátia me passou pra fazer em casa aconteceu o contrário: quanto mais a barriga crescia, mais disposta eu me sentia e minhas costas ficaram ótimas! Costumo dizer que o oitavo e nono mês de gestação para mim foram os melhores e parte disso devo à Kátia e suas aulas.
Outra coisa que aprendi nas aulas foi a respeitar meus limites e não me sentir menos por eles. Depois de um tempo aceitei que meu corpo se esticava pouco mesmo, que eu não alcançava meus pés e que minha borboleta não abriria tanto as asas e parei de sentir vergonha por isso. Me concentrei apenas em sentir o corpo trabalhando, dentro do seu possível. A Kátia foi extremamente cuidadosa comigo, me arrumou uma almofadinha, me tratou individualmente como fazia com cada uma das alunas e me ajudou nesse entendimento do meu corpo e meus limites. Acho que eu devo ter alguma lembrança adormecida das aulas de ballet da infância pois até fazer yoga alongamento sempre me parecia uma questão de superação, sofrimento e incapacidade.
Tudo isso sem contar que as aulas da Kátia foram a porta de entrada pra mim para o mundo do parto humanizado, com os encontros de gestantes na casa moara, a pesquisa e a decisão por mudar de obstetra, etc. O encontro com outras gestantes, espaço de tantas conversas, tantas trocas era tão especial que as vezes esquecíamos dos exercícios para falar sobre gestação e parto. A Kátia também trabalhou nossos medos em relação à gestação, parto e pós parto, tirou nossas dúvidas e nos orientou, sempre balanceando militância e autopreservação nessa, que é uma fase tão forte e sensível da vida de cada mulher. Se eu fosse falar tudo que conversamos nas suas aulas que foi importante pra mim esse depoimento não acabaria nunca.
Quanto ao meu parto, foi meio maluco. Tudo aconteceu muito rápido, ou eu é que me dei conta quando tudo já estava muito forte. Não consegui usar a respiração que eu tinha treinado tanto e mesmo a cócoras, que sempre tive facilidade em fazer e achei que fosse usar, na hora não me agradou. Mas parto é assim. Imprevisível. Tenho certeza por outro lado que os exercícios ajudaram meu bebê a permanecer no lugar e ele desceu tão rápido na hora do parto que não deixo de achar que foram as aulas e exercícios que o ajudaram a ficar lá prontinho, só esperando pra nascer. Minha conexão com meu assoalho pélvico foi aperfeiçoada nas aulas com exercícios como o do tubo de ar, e depois aprofundada com epi-no e outros exercícios. Essa conexão também foi fundamental no parto. Mais que tudo a Kátia me ensinou que muito do parto acontece na cabeça da gente e que cada mulher pari um pouco como vive. Mais do que apenas o corpo, os encontros prepararam minha cabeça para o parto, tive meus prazeres e encontrei meus demônios e eles não me pegaram de surpresa, pois já os conhecia.
A Kátia não pôde ser minha doula no dia do parto, mas pra mim é também doula (se é que me permite chamá-la assim, sem os devidos honorários) já que suas aulas são como doulagens em grupo e o cuidado que tem com cada aluna, seu corpo e sua mente, seus limites e suas encrencas, cada uma com o seu perfil, são de um carinho e uma força que descobri serem características fundamentais e indissociáveis nessas mulheres incríveis que são as doulas."


  • Eliane Ogatha, aluna de 2010 a 2012
"Vale muito a pena se exercitar com seu bebê, fase em que a mãe sente aquele cansaço físico e mental, natural da própria nova rotina! Você alonga, fortalece o físico, renova suas energias e ainda aproveita para trocar experiências sobre a maternidade! E tudo isto com uma super profissional que torna as aulas para lá de especiais! Eu tive o privilégio de ser sua aluna! Foram aulas de gestante, baby yoga e "pós baby yoga"...Obrigada Katia!"



  • Gabriela Portugal Bendzius, aluna em 2012
"te conhecer e praticar suas aulas foi fundamental para que eu ganhasse mais consciencia de meu corpo durante a gestacao, para acalmar minha alma e acima de tudo, para estreitar ainda mais meu vinculo com meus 2 bebes maravilhosos em minha barrigona. tenho certeza que se consegui chegar ate quase 38 semanas, foi tambem gracas a voce! assim, muito obrigada pela sua tecnica, pelas dicas e pelo seu enorme carinho e atencao comigo durante as aulas. sem falar dos deliciosos bolinhos de banana e iogurte... vc fez diferenca em minha gestacao!!"

  • Daniela Santino, aluna em 2012
"A yoga p/ gestantes da Kátia foi essencial durante a minha gravidez. Me ajudou na respiração, a me manter tranquila, me “ensinou” a andar e evitar dor nas costas mas o mais importante foi a conexão que eu e a minha bebê iniciamos. 
 Por causa dessa conexão eu soube q a minha bebê estava chegando e, contrariando a previsão do médico, a Mariana nasceu com 39 semanas e eu já estava esperando por ela. Detalhe: tinha ido ao médico um dia antes dela nascer e ele havia dito que era para eu esperá-la para o final do mês...Mariana nasceu dia 19!"



  • Cibele Albino, aluna em 2012
"Comecei a fazer Babyyoga com a Katia assim que minha médica me liberou da quarentena e posso dizer que está sendo uma experiência maravilhosa para eu e minha bebezinha. Depois que começamos as aulas minha gatinha ficou bem mais calma e tranquila, chorando menos e fora os mantras que a Katia nos passa, são ótimos para a hora de colocar a bebezinha na cama, ela fica calminha e dorme igual um anjo. Como sou mãe de primeira viagem e quis cuidar da minha filha sem ajuda de ninguém, a rotina é muito pesada, só quem é mãe sabe disso, as aulas de Yoga são uma maravilha, me deixou mais tranquila, mais relaxada para enfrentar o cuidado com a neném. Sei que o babyyoga fortaleceu meu vínculo com minha filha, nos dá calma e tranquilidade e fora que é bom para sairmos da rotina, aproveitarmos esses momentos juntinhas. Amo e recomendo."

  • Patricia Padin, aluna em 2012
"Sempre achei que fosse ser uma "tia rica", gostava de crianças, mas não achava que era para mim. Tempos antes de engravidar, tive sonhos lindos com uma menininha mega fofa que me abraçava e dizia que me amava, o que me fez repensar a idéia inicial e encomendar a minha querida Maria Luiza.
Tinha pra mim que o parto deveria ser normal, e que, só em casos excepcionais, sofreria uma cesárea. Com o passar dos meses da gestação, descobri que a obstetrícia no Brasil não é tão obvia assim e foi na busca de um parto normal que eu conheci a Katia.
Indicada por uma grande amiga, a Katia foi primeiro minha professora de yoga. Aprendi tanta coisa com ela, respirar (descobri que até isso eu fazia errado - refletindo a minha ansiedade), relaxar (quantas vezes não dormi ao final da aula e nada de ouvir o tal sininho!), equilibrar (meus medos, minha ansiedade, minhas duvidas, meu corpo)...
Depois se tornou minha doula. Com todo carinho, fez parte de um dos momentos mais sensacionais da minha vida. Soube passar tranqüilidade para mim e para o meu marido, encarou numa boa toda a loucura do meu parto, tirou fotos sensacionais (muitas com direito a fazer parte de livros renomados), se preocupou em me nutrir (com palavras, sorvete de uva, água, carinho!), encontrou uma posição que eu consegui encarar o parto naturalmente. Digo e repito que ela, com suas mãozinhas de fada, fechou as "portas do inferno", e que sem ela eu, provavelmente, teria sucumbido à analgesia e ai vai saber o que teria acontecido...
E depois de tudo isso, ela ainda lembrou que eu estava com vontade de comer coxinha e me trouxe varias na visita do pós parto!
As aulas de baby yoga também foram muito importantes para recuperar o controle do meu corpo e também para desabafar os medos que toda mãe "recem nascida" tem!
Devo muito a Katia, ela fez e faz parte da minha trajetória de transformação, da minha busca para ser uma pessoa melhor, uma mãe melhor... Fico muito feliz de saber que nossa história a tocou de algum jeito, porque, sem duvida alguma, a Katia faz parte dela! "
  • Fabiana Bebé, aluna em 2011
"Quando fui à procura de yoga para gestantes, eu buscava um bem-estar para o momento mais importante da minha vida que foi quando eu estava grávida do meu primeiro filhote, Matheus. E, por incentivo da minha irmã, Felizarda Bebé, resolvi então pesquisar na internet, algum local próximo de minha casa, para que eu pudesse realizar. Pesquisando, encontrei o site da querida e doce Kátia Barga. Na época, eu estava com 22 semanas de gestação. E, foi assim que pude conhecer o yoga através da Kátia, não só o que eu buscava mas também fui apresentada ao lindo mundo do parto humanizado, onde mamãe e bebê são respeitados. Poxa! Como sou sortuda de ter tido o privilégio de aprender com ela! Comecei então, a fazer as aulas de yoga, uma vez na semana, e, concomitantemente, recebi em troca muito aprendizado sobre a gestação, parto e pós-parto. Li todos os livros indicados e emprestados por ela, foram eles: Quando o corpo consente; Memórias de um Homem de Vidro Reminiscências de um obstetra humanista; Parto ativo; Parto normal ou cesárea? e, por último, li o Parto com amor. Nossa! Quanta coisa maravilhosa chegara em minhas mãos! Tudo isso foi muito esclarecedor para que eu pudesse entender sobre o que acontece no "mundo cesarista" que hoje paira nas maternidades de todo o Brasil. As aulas eram ótimas, chegava em casa realizada! Corpo e mente sãos. Era assim que eu me sentia. E, assim, foi até eu completar 38 semanas e 4 dias de gestação, onde realizei a minha última aula de yoga com a Kátia na segunda-feira, pois, com 39 semanas e 3 dias de gestação, no domingo, o meu filhote chegaria ao mundo. Não tivemos tempo de fazer a despedida da minha barriga, né Kátia? (rsrsrs). Bom, depois desse período de aprendizado na minha prática de yoga, tive, ainda, mais uma vez o privilégio de ter a Kátia como minha doula, mesmo que só por algumas horas (das 22h30 da noite do dia 19/08 às 04h00 mais ou menos, do dia 20/08/11), onde pude perceber o seu lado tão humano com outra pessoa. Logo, em seguida, eu tive o acompanhamento da minha outra querida doula, até 21/08/11, na maternidade, dia do nascimento do meu anjo Matheus. E, desde então, a minha percepção sobre o nascimento de uma vida, nunca será a mesma! Kátia, quero que tu saibas que todos os dias eu agradeço a DEUS por ter colocado vc no meu caminho no momento mais sublime da minha vida! Serei eternamente grata por tudo, pelo lindo ensinamento que me proporcionou! Adoraria tê-la mais uma vez como minha doula em qualquer canto desse mundo! Obrigada! Bebeijo,"
  • Paula Fiedler, aluna em 2011
"Minha gravidez foi planejadíssima e assim que soube que estava grávida tratei de me cuidar ainda mais. Além da alimentação balanceada, queria fazer alguma atividade físia específica para gestante. Marquei uma aula de mamãe ativa (ginástica gestacional e hidroginástica) numa academia bacana e uma aula de Yoga Gestacional com a Katia, pra eu poder escolher entre as duas atividades. Amei as duas e não pude escolher. A Katia me deu um abraço tão gostoso e a gente nem se conhecia! Isso me marcou demais... O maridão me incentivou a fazer ambas as atividades e foi o que eu fiz. 
Na academia eu cuidava do corpo, me alongava, me exercitava, cansava mesmo... muitas vezes recebia massagens da querida professora Ana Carina. Eu amava! 
Na Yoga a Katia me ensinou a olhar pra dentro, a desacelerar. Aprendi a respirar, a meditar, a buscar o equilíbrio da mente e do corpo. Eu me concentrava nos exercícios, nos mantras, nos objetivos, nos alongamentos... Cheguei a dormir no relaxamento. Eu sentia isso se refletir no meu bebê. Não sei se gostava mais das aulas ou dos bate papos com chazinho e pão quentinho no final das aulas...
Quando conheci a Katia, buscava um parto normal. Ela me abriu os olhos para o parto natural, me emprestou livros e filmes, me indicou profissionais humanizados, me levou em palestras... Me identifiquei com esse universo, queria ter o privilégio de participar ativamente desse momento especial e único na vida de toda mulher. 
Minha gestação foi uma delícia e depois de me preparar muito para um parto natural, sempre com o apoio do meu marido, contratei a Katia como Doula. Depois contratei uma parteira e um Pediatra humanizado para acompanhar o parto. O plano era um PNH. 
Com quase 41 semanas de gestação, foi constatado em 3 exames (repeti pra ter certeza) um aumento absurdo de líquido amniótico. Estava com risco de perder meu útero e até de não sobreviver se o mesmo não contraísse e acabasse com uma hemorragia. Chorei horrores. Teria  que encarar uma cesárea, ainda por cima de risco. Pelo menos era uma cesárea necessária e não eletiva. 
Com excessão da parteira, mantive os mesmos profissionais, incusive a Katia. Ela não saiu do meu lado. Entortaram 3 agulhas pra me dar a anestesia, de tão tensa que eu estava. Apertei tanto a mão da Katia, coitada... O Felipe também me apoiou o tempo todo. Não senti dor, estava tão apavorada que eu só pensava na minha filha. Só queria que ela estivesse bem. E graças a Deus ela nasceu linda, super saudável, bochechuda... O pediatra a trouxe rapidamente pro meu colo e ela mamou por mais de uma hora ali, na sala de cirurgia. Esse momento foi sublime, simplesmente sem palavras. Minha filha, minha vida, amor puro, infinito e incondicional. Todo o medo desapareceu. 
A Kátia ficou comigo na recuperação enquanto o Felipe foi avisar nossos familiares que estava tudo bem. Depois de pouco mais de 1 hora, fomos para o quarto e logo depois a pequena Talita chegou. Gorduchinha, pesava 3,8kg. Mesmo operada fiz questão de pedir alojamento conjunto e a partir desse momento nunca mais nos separamos.
A Tatá tem 1 aninho, só mama no peito, come tudo que vê pela frente, é esperta, brincalhona, sem vergonha e muito apegada e mimada. Hoje, ela fica um dia da semana com a vovó materna e outro com a vovó paterna. Fiz isso mais pelo relacionamento dela com as avós/avôs do que por necessidade. Estamos muito felizes assim.
Nasceu a Talita e junto com ela, nasceu uma mãezona coruja. Tenho muito orgulho da mãe que eu me tornei. 
Devo grande parte dessa história a Katia. Agradeço a Deus por ter colocado esse anjo ruivinho em meu caminho.
Beijos no coração.
Paula e Talita 1aninho"



  • Camila Assis, aluna em 2010 e 2011
"Fazer as aulas de yoga foi pra mim como algo que me carregou no colo, enquanto eu carregava um outro ser. Durante a gravidez, existe uma série de emoções que nos deixa muito confusas: ansiedade, expectativa, insegurança, auto confiança... É coisa demais pra gente lidar. E o principal: nossa intuição. A yoga, nesse sentido, foi fundamental para eu me conectar com o meu EU mais profundo, com a minha filha, tão próxima e distante ao mesmo tempo, para eu me sentir acolhida, confiante, determinada, forte e mais preparada para a grande montanha russa que estava por vir. Eu me senti totalmente acolhida, e principalmente acompanhada. Conversar com alguém que reconhece o que você precisa e sente, e te dá suporte emocional e físico pra encarar com bravura um dos momentos mais lindos da vida.
Nunca esquecerei desta experiência. Eu fui tocada de maneira tão profunda, que só de escrever este breve texto, sinto vontade de chorar. Chorar de alegria, de saudade, de vitória, chorar pelo que me permiti viver: duas horas na semana em que, no meio de tanto caos, eu parava tudo dentro de mim, simplesmente para me ouvir, ouvir minha filha e ser ouvida pela Kátia. É algo muito simples, muito pequeno, mas tão mágico e grandioso para alguém que vive um momento tão delicado como a gestação. 
Agradeço muito à Kátia por ter me carregado tão bem neste momento. E tenho certeza que se ela tivesse sido também minha doula, na hora do parto eu teria sido lindamente carregada. Só lamento por isso!
Obrigada por tudo!!!
Camila, da Rafaela (1a) e da Manoela (4a)

  • Renata Camacho, aluna de 2011 a 2012

"Pratiquei Yoga com a Kátia desde a gestação e pratico até hoje. A Alice agora está com 9 meses. Descobri as aulas na internet e as propostas vieram de encontro com tudo o que eu procurava. Para mim, foi muito importante para o vínculo mãe-bebê desde a gestação. Eu me sentia em total sintonia com a Alice desde aquele momento. As músicas, o calor, o acolhimento. Tive uma gestação super tranquila, um parto ótimo e a Alice é cheia de saúde! Hoje em dia ela adora as aulas e relaxa tanto que depois sempre dorme por horas, vem capotada no carro até em casa. Achei também muito importante nos primeiros meses após o parto, pois como mãe de primeira viagem, tinha muito medo de sair de casa com ela, inseguranças mil...as aulas me fortaleceram muito neste sentido. E foi muito bom poder trocar idéias sobre tudo num espaço tão nosso e focado nessa fase tão delicada da vida de nós mulheres. Agora já estamos iniciando uma despedida, em parte triste, mas vejo apenas como mais uma passagem. A Alice está crescendo, já está engatinhando e começou a aprontar nas aulas rsrsrs...obrigada por tudo, Kátia, espero que continuemos sempre juntas em outra possível gravidez e bebê, se Deus quiser. "

  • Vanessa Oliveira, aluna em 2010
"Como tive um primeiro parto cesária, sem nenhuma necessidade, busquei desde o princípio algo totalmente diferente para o segundo parto. Li muito a respeito desde o início da gestação, conheci a Casa Moara, cheia de mães alegres e com experiências de paz sobre um parto humanizado. Me encantei por tudo aquilo e comecei a introduzir as práticas aprendidas no meu cotidiano. Participei de reuniões, ouvi relatos, e me programei para uma gestação tranquila.
Para isso, optei por iniciar a yoga no sexto mês de gestação com a Kátia Barga. As aulas eram, pra mim, um momento muito importante, em que eu saia da rotina de casa, trabalho e ficava totalmente entregue à uma sincronia com meu corpo, com meu bebê, com meus desejos. A yoga me ajudou muito a respirar (por incrível que pareça, sabemos pouco sobre respirar adequadamente), a me acalmar e me preparar para o momento do parto. 
Além dos exercícios físicos, que fortalecem a musculatura, há um preparo emocional, indescritível.
Em um dos exercícios, em que visualizávamos um objetivo, eu fazia minhas preces a Deus, para um parto sem intercorrências.
De alguma forma, estar em silêncio, na calma e paz daqueles movimentos suaves, eu pude encontrar força para os momentos seguintes do parto, por exemplo em que as contrações eram muito fortes... Nesses momentos, eu encontrava aquela mesma força que tinha treinado em cada aula. O foco no objetivo final, que era o nascimento humanizado do meu filho, com respeito e dignidade, não importava quanto tempo demorasse.
Para mim, esses momentos de serenidade também me colocaram em muito contato com Deus e Ele me protegeu e iluminou muito durante todo o trabalho de parto (quem presenciou, sabe, né Kátia?).
Enfim, eu recomendo a yoga durante a gestação, mas também como prática de vida.
Para a minha história significou bastante ter a Doula como minha instrutora de yoga, pois tivemos durante as aulas, tempo para criar vínculo, afeto, trocar experiências, contato físico, reconhecimento de olhares. Ela foi muito especial, muito parceira, muito suave e ao mesmo tempo, forte.
Kátia querida, mesmo com tão pouco tempo, você tomou uma proporção enorme na minha vida. Você estava lá quando eu estive no momento mais frágil e mais forte de toda a minha vida, em que me senti nascendo como a única responsável por minhas escolhas... Eternamente, muito obrigada!

  • Maira Videira, aluna em 2011

Participar das aulas de yoga da Katia na Casa Moara foi simplesmente beber na fonte: prática de yoga atenciosa, direcionada carinhosamente a cada uma das meninas. Posso dizer que foi através da prática de yoga que encontrei informações precisas e preciosas sobre o parto normal e humanizado, sobre as "desnecesárias", além do alento para as minhas angustias e medos. Encontrar aquelas barrigudas lindas, cada uma com sua semana de gestação, despedir das barrigas e festejar o nascimento dos bebês foi uma prática de AMOR! A Katia também foi minha doula. Doçura, tranquilidade e segurança foi o que recebi dela durante meu trabalho de parto. Que sorte eu e Catarina tivemos. Agradecida, Katia!

  • Camila Bianchi, aluna em 2010, 2011 e 2012

Sempre gostei de praticar yoga e, quando descobri que estava grávida, a primeira coisa que

pensei foi em me matricular em uma aula de yoga para gestantes. Essa necessidade surgiu,
pois não tenho uma boa postura, tinha dores nas costas frequentes e estava decidida a
começar o yoga cedo para ter uma gravidez tranquila. Através de uma indicação, cheguei a
casa Moara e tive o privilégio de conhecer a Kátia bem no inicio da gestação, eu era sua aluna “caçulinha”, como ela me chamava, pois comecei as aulas de yoga com apenas 7 semanas de gestação.
Em relaçao ao meu corpo, o yoga foi fundamental, pois passei uma gestação bem tranquila,
sem dores nas costas e com noites gostosas de sono, importantissimas para uma futura mãe,que com certeza necessita descansar bastante antes de começar a nova jornada da vida dela como mãe. Porém, a aula de yoga foi muito além disso.
Comecei a minha gestação indiferente em relação ao tipo de parto que teria para conceber
meu filho e, conforme as semanas foram passando, através de nossas conversas em aula,
discussões na lista de emails e livros que a Kátia me emprestou, consegui entender como o
parto normal era importante para mim e, principamente, para o meu bebê.
Tive um parto natural hospitalar, com dois dias de pródromos em casa, com contrações
relativamente fortes. Kátia esteve ao meu lado por todo o tempo, passou 2 madrugadas
comigo, me acompanhou durante todo o trabalho de parto, incluindo a fase ativa e, sem
ela, eu tenho certeza que nao teria conseguido ter um parto normal. Meu marido e eu
agradecemos ao universo por tê-la colocado em nossas vidas.
A Kátia tem um jeito mágico, como uma linda fadinha, ela consegue tocar nosso coração e
sentir o que estamos sentindo, nos dando suporte não só com nosso corpo em transformação devido a gestação, mas também com palavras, em um dos momentos mais especiais da vida de uma mulher. Na minha opinião, fazer yoga para gestantes com a Kàtia é um presente que todas as grávidas deveriam ter o privilégio de ganhar. Através da aula de yoga para gestantes, conheci uma professora admirável, uma doula incrível e uma amiga.


  • Sabrina Sorgi, aluna em 2012


Escolher a doula que nos acompanharia na incrível e emocionante trajetória de gestar nossa primeira filha não foi tarefa fácil. Queríamos alguém próximo, que pudéssemos encontrar sempre e que vivesse conosco cada etapa do processo. Queríamos nos sentir à vontade com ela no momento do nosso parto. Dentre as muitas profissionais maravilhosas que conheci, estava a Kátia Barga. Fomos "conquistados" por ela durante um dos encontros da Casa Moara: doçura e seriedade juntos, na forma de uma professora de yoga que aproximava ainda mais os papais das mamães nas aulas mensais para casais grávidos. É ela!

Passei a frequentar as aulas de yoga aos sábados e nelas eu encontrava mais do que um espaço para sentir o corpo, alinhar a alma e conectar-me com minha bebê. Encontrava também um espaço para troca de experiências e aquisição de informações relevantes sobre gestação, parto, pós-parto e pa/maternidade.
De todos os momentos, eu tinha um xodó especial pelas aulas em que meu marido participava junto comigo e que vivíamos, juntos, a experiência de conexão com a pequena Amanda, que crescia em minha barriga, abraçada por mim e por ele.

O parto de nossa pequena foi uma travessia intensa e difícil. Tudo saiu muito diferente do planejado. A presença da Kátia e dos outros profissionais da equipe humanizada nos permitiram atravessar o mar revolto e chegarmos vivos ao outro lado. Nunca esqueceremos do gosto de amizade que veio junto com o pão caseiro que a Kátia nos trouxe quando veio nos visitar em casa.

Porque doular não é apenas estar junto no momento do parto. É alimentar a alma da nova família que se forma com carinho, confiança e segurança.
Querida Kátia, somos eternamente gratos!

  • Fernanda Freddo, aluna em 2013


Sou uma pessoa muito ativa, gosto de me exercitar e por isso não queria ficar parada durante a gestação. Sei que grande parte das gestantes optam pela hidroginástica, mas resolvi voltar à pratica do yoga, agora especialmente para gestantes, no intuito de preparar meu corpo e principalmente a minha mente para enfrentar o trabalho de parto que estava por vir. Perceber e respeitar as necessidades de meu corpo foi fundamental durante minha gestação, parto e pós parto. Tive sorte de ter Kátia Barga como minha instrutora. Sensível, carinhosa e sempre disposta me estendeu sua mão neste período tão especial de minha vida e me guiou ao parto natural e humanizado. Só tenho a agradecer. Muito obrigada!

  • Alejandra Broges, aluna em 2011
Meu nome é Alejandra, sou venezuelana e moro em São Paulo desde o final do ano de 2010, minha filha chamada Sofia nasceu neste país especial que abrigou nossos sonhos. Minha experiência desde a gravidez, nascimento e crescimento da minha pequena, tem sido a  mais maravilhosa da minha vida. Viver em um país estrangeiro é difícil, tem que se acostumar a novas costumes, nova língua, novos lugares, foi uma experiência enriquecedora, mas com o coração apertadinho, tendo toda a família longe de mim. Tive uma gravidez tranquila e bonita. Quando Sofia nasceu, visitou me a minha mãe e a minha sogra, aprendi com elas, e tirei o máximo proveito desses momentos. Mas quando elas voltaram foi doloroso, meu marido trabalhou muito naquele momento e ocasionalmente estava de volta muito tarde, assim, eu passei muito tempo sozinha com a minha filha, eu ainda me lembro com tristeza. Senti-me confortada em ver minha mãe através do computador, me ajudando nas longas noites com Sofia. 
Senti que tudo era difícil, e pensei em procurar ajuda, o Yoga foi para mim a melhor escolha, eu estava mais do que feliz com as aulas da baby yoga, foi uma grande ajuda para mim, para minha filha e até mesmo a minha relação com o meu marido. Eu precisava de um espaço como aquele, eu precisava respirar, sim, respirar bem, e estar atenta naquele momento,  porque minha filha estava crescendo a cada segundo, e ela merecia um momento de tranquilidade, um momento de conexão, e relaxamento; e eu precisava estar confortável nesta nova etapa da maternidade, eu precisava sair de casa, esquecer das tarefas domésticas, e ter contato com a minha filha, na forma linda e  espiritual, no sentido de sentir a essência do meu ser em harmonia com ela. Minha vida melhorou, tinha mais paciência com ela, e quando eu ficava nervosa, deixava em paz o meus pensamentos, lembrando-me da canção do mantra. Foi muito compensador para mim e para Sofia, fiz amigas maravilhosas, e tive a oportunidade de compartilhar com mães como eu, com as mesmas dúvidas, as mesmas experiências, e acima de tudo foi graças a você, Katia, você sempre será a nossa melhor professora de Yoga.
Site Meter